quarta-feira, 25 de janeiro de 2017

Vida de Home Office

Desde que saí do meu último estágio, venho tentando trabalhar em casa. Morar num lugar tranquilo, ter meu próprio escritório e passar o dia sozinha (com o gato) ajuda bastante. Mas, para me adaptar, precisei criar uma rotina e às vezes atropelo minhas próprias regras. De qualquer forma, está dando certo para mim.

Minha mãe tem uma característica muito forte que a diferencia bastante de outros pais: ela nos incentiva e motiva a fazer o que gostamos e queiramos, mas com disciplina e foco. Ela é a minha principal inspiração quando o assunto é trabalho, pois sempre foi independente, empreendedora e sempre buscou soluções alternativas para arcar com todos os gastos da casa e dos filhos sem a ajuda de ninguém. Mas também devo creditar meu namorido, que apesar de já ter expressado que seria ótimo se eu tivesse um emprego "normal", me apoia em minhas decisões (ou se conforma? rs).

Todavia, não posso dizer o mesmo da sua família, que não vê um trabalhador informal com bons olhos. As pessoas tem o mau hábito de praticamente desconsiderarem que ser estudante também é uma condição que demanda muito tempo e esforço. Meu namorido sempre trabalhou e nunca deixou de estudar. Mas minha criação foi diferente, minha mãe nunca nos impôs esta rotina exaustiva e estressante: ela sempre deu prioridade aos estudos. Talvez por este motivo, conciliar o estudos com trabalhar fora em período integral nunca foi meu forte. Então, encontrei no home office o modelo ideal de trabalho para mim.

Muitas empresas já aderiram ao home office como uma alternativa para cortar gastos desnecessários com funcionários que moram longe ou necessitam de um horário alternativo de trabalho. Infelizmente, a agência onde eu atuava não admitia este sistema  de trabalho muito bem. Mas, deixando de lado a necessidade de atualização e adaptação das empresas, trago aqui um pouquinho da minha rotina:


Dividir o tempo entre trabalho, estudo e lazer pode ser um problema se você não tiver disciplina.
Criar uma rotina ajuda: eu começo o dia com uma lista de tarefas, que incluem também os afazeres domésticos e pequenas pausas para lanches.

Sua família não compreende muito bem o tempo que você passa em casa.
"Você passa o dia todo sem fazer nada?"
Sim, exatamente! :) (falar o quê)

Nada de trabalhar na cama ou na sala. (e muito menos ficar de pijama)
Da mesma forma que meu marido se recusa a usar o escritório quando está em casa - afinal, ele passa o dia em um - eu não consigo jogar The Sims ou navegar quando estou no escritório, rs.

Alimentação e exercícios: saúde em primeiro lugar!
Nada de se acostumar com comidas congeladas e não se exercitar. Você já sabe o resultado disso, né?

Quem cedo madruga, Deus ajuda. Ou não.
Não é porque as outras pessoas levantam entre às sete para trabalhar que você precisa fazer isto também. Meu horário mais produtivo é de manhã, sem dúvidas, mas estar de pé antes das 8h é impossível para mim. Da mesma forma, para algumas pessoas, acordar tarde e trabalhar até às 4 da manhã funciona melhor. O que não vale é fazer jornada dupla sem descanso.

Isolamento leva à depressão.
Para quem é anti-social e/ou prefere um ambiente calmo para trabalhar, fazer home office é uma ótima forma de vazão aos seus desejos sombrios de se isolar da sociedade. Mas fica offline o tempo todo e recusar convites para almoços não faz bem à sua saúde mental.

Softwares e aplicativos de gestão podem te deixar viciado.
Principalmente se você já tiver mania de organização como eu. Sistemas e aplicativos colaborativos de gerenciamento de projetos como listas e planilhas fazem parte da minha rotina.

0 comentários:

Postar um comentário

Created By Sora Templates