sábado, 20 de fevereiro de 2016

Mudança sem Stress

Nasci em Jundiaí/SP, mas então meus pais se separaram quando eu tinha cerca de 4 anos e me mudei para Minas Gerais para morar com meu pai. Aos 9 anos, voltei para São Paulo com a minha mãe e então demos início a uma longa fase de mudanças, pois pagávamos aluguel até três anos atrás, quando investimos em outra casa própria (a qual estamos tentando vender agora).

Minha experiência com mudanças e casas de alugueis fez com que eu não tivesse dores de cabeça na hora de sair de casa e ir para o meu próprio apartamento. Como há tempo eu alimentava o desejo de morar sozinha, acabei juntando uma grande quantidade de parafernália doméstica ao longo desses anos. Fora que passei os últimos meses praticamente morando dentro de uma suíte, então eu tinha mais do que um quarto neste cômodo: tinha um escritório, uma biblioteca, um ateliê, entre outras coisas.

Enfim, com base na minha experiência pessoal, reuni cinco dicas essenciais para que quem pretende passar por esta fase de mudança não sofra por despreparo:

1. Vistoria

Antes de assinar o contato, confira se está tudo OK na casa, principalmente na parte elétrica e hidráulica. Teste as torneiras, as descargas, os bocais, as tomadas, se as portas e janelas estão abrindo e fechando bem, o escoamento da água, se os ralos não estão entupindo e tudo o mais que você puder observar. Com a chave na mão e o contrato assinado, faça um registro de cada ambiente do imóvel, fotografando e tomando notas, isso pode ser importante na hora de deixar o apartamento.

2. Limpeza

Tire um dia apenas para ir para seu futuro lar esfregar o chão, as pias, o vaso sanitário e as janelas. Se preciso, contrate uma diarista para fazer o serviço. Vai ser muito melhor eliminar toda a poeira da casa enquanto ela ainda estiver vazia do que depois da mudança.

3. Encaixotando

Você pode contratar um serviço de mudança, mas se quiser economizar, faça como eu: seja humilde e vá até o supermercado mais próximo pedir as caixas que estão sobrando no depósito.

Depois, separe as caixas por categoria (pode ser o tipo de item que vai dentro ou o cômodo pra onde ela deve ir, por exemplo “livros e revistas” ou “escritório”) e identifique-as com uma etiqueta ou escrevendo nelas com canetão.



ITENS QUEBRÁVEIS: Lembre-se de destacar as caixas que contém vidro ou outros itens quebráveis. O ideal é colocar isopor, espuma, plástico bolha ou jornal para proteger esses itens.

LIQUÍDOS: Coisas que podem derramar – como cosméticos e coisas de banheiro ou de geladeira – eu costumo colocar dentro de uma sacola plástica e amarrar antes de por na caixa. Se preciso, também forro com uma toalha e jornais.

4. Contratação de Serviços

Não deixe para resolver as coisas de última hora. A partir do momento em que o contrato é assinado, você já pode ir agilizando tudo. Contrate o transporte para mudança com antecedência, de preferência no primeiro horário da manhã. Agende a instalação de internet, telefone, televisão e os demais serviços que for precisar. Veja qual o pessoal que será necessário entrar em contato, como um pedreiro, eletricista, mecânico, montador de móveis; e faça isso previamente. Se for comprar móveis e eletrodomésticos, lembre-se que existe um prazo de até 15 dias para entrega e mais 15 dias para a montagem (importante: não viole a embalagem antes do montador, pois se vier com algum defeito ou com peças faltando, não poderá recorrer).

5. Descarregando a mudança

Não vai simplesmente jogando as coisas para que a mudança acabe rápido e pronto. O ideal é ter mais ou menos uma ideia de onde cada móvel, eletrodoméstico e caixas ficarão para que possa orientar os ajudantes a colocar as coisas nos lugares aproximados. Acredite, mover a geladeira do quarto para a cozinha depois de empilhar várias caixas na frente dela não será nada fácil.

0 comentários:

Postar um comentário

Created By Sora Templates