quarta-feira, 20 de janeiro de 2016

Cinema Francês

Como disse em outro post, percebi que estava seguindo uma grande tendência em assistir produções francesas. Então, nesta semana me deleitei com uma seleção de filmes franceses e descobri que não é só a culinária, moda, arquitetura e o ballet que eu aprecio deste país! Ta aí: este é um dos primeiros países que eu vou conhecer <3

Des La Maison (2012)

Um rapaz de 16 anos consegue entrar na casa de um colega da sua aula de literatura e resolve escrever sobre o fato no seu trabalho de francês. Animado com o dom natural do aluno e o progresso do seu trabalho, o professor volta a apreciar a função de educador dos jovens. Entretanto, a invasão do aluno vai desencadear uma série de eventos incontroláveis.








Apesar da trama ser um tanto incômoda, por tratar de questões morais e tudo mais, fiquei encantada pelo filme girar em torno de questões literárias. Ao mesmo tempo que você acompanha a história primária, fica numa ânsia só de ouvir cada capítulo da história secundária narrada pelo jovem escritor. Um dos meus momentos favoritos foi quando o professor lhe dá uma primeira aula particular de criação literária, por falar das possibilidades textuais. Transcrevo abaixo:

"Começou uma paródia?
Leva ao ridículo o personagem para entreter o leitor, é isso?

Então é realismo?
Como por uma câmera escondida. Como se olhasse pelo buraco da fechadura.

Então é estilização?
Você escreve o que vê ou o transforma?"

Populaire (2012)

Aos 21 anos de idade, Rose Pamphule mora com seu pai e estar prestes a casar com o pacífico filho de um garagista. Ela poderia virar uma dona de casa, mas a jovem tem planos mais ambiciosos. Ela sai de sua cidade e tenta um emprego de datilógrafa no escritório de seguros de Louis. Mesmo se suas habilidades como secretária são fraquíssimas, o homem fica impressionado com a velocidade com a qual Rose consegue digitar. Logo o espírito competidor de Louis se desperta: ele decide aceitar Rose como sua secretária, contanto que ela treine para participar da competição de datilógrafa mais rápida do país.




Sou doida por máquinas de escrever e me arrependo amargamente de não ter surrupiado a da casa dos meus primos quando era criança e tive a oportunidade (eles não se importariam). Então, isso por si só já foi um grande empurrão pra eu querer ver o filme. Outra coisa que gostei é que o filme aborda a ascendência da mulher na sociedade, e a auto-realização do frustrado esportista Louis. O romance entre eles é inquietante, ficamos o tempo todo esperando que algo aconteça!

Le Passé (2013)

Depois de quatro anos de separação, Ahmad (Ali Mosaffa) retorna a Paris vindo de Teerã, a pedido de Marie (Bérénice Bejo), a sua esposa francesa, para finalizar o processo do divórcio. Durante sua breve estadia, Ahmad descobre a relação conflituosa de Marie com a filha, Lucie (Pauline Burlet). Os esforços de Ahmad para tentar melhorar a relação acabarão por desvendar um segredo do passado.







Basicamente, o filme gira em torno de uma mulher que está em coma há 8 meses por tentar se matar ao desconfiar que o marido estava tendo um caso. Apesar de só aparecer um tiquinho no final, sem dúvidas ela protagoniza o filme. O mais instigante é que a cada momento descobrimos um novo detalhe crucial sobre sua condição psicológica e o que a levou ao suicídio.

0 comentários:

Postar um comentário

Created By Sora Templates