quarta-feira, 17 de setembro de 2014

Desejo Suicida


Já é nove horas da manhã. Quando o primeiro raio de luz entrou pela fresta entre as cortinas, me atingindo em cheio no olho direito, eu acordei. Não era nem seis horas da manhã. Me recusei a levantar da cama, me obriguei a voltar para meu sono. Ainda que estivesse tendo pesadelos, os pesadelos eram mais reconfortantes que lidar com a vida real.

Quero morrer, quero morrer, quero morrer. Deus, por favor, não permita que a depressão me consuma novamente. Esse sentimento é horrível. Sinto repulsa das pessoas, do mundo, de tudo. Quero ser engolida pela minha cama e esquecer que existe um mundo real lá fora. Quero dormir e não acordar nunca mais.

Detesto ter que levantar todos os dias pela manhã. Preferia me refugiar num lugar sem contato imundo-humano. Deus, por favor, não permita que eu desaponte mais ninguém. Quero sofrer sozinha, já me basta sentir esse desapontamento para comigo. Não quero ter de encarar os olhos frios dos outros. Ninguém merece minha presença.

Eu sei que não mereço uma segunda chance. Eu não quero tentar de novo. Para que? Para perder novamente e ficar me sentindo lixo? A vida é um rodízio de frustrações, com breves momentos de superação que denominamos felicidade. O que é a felicidade, se não um instante de contentamento? Para existir alegria, tem que haver primeiro o sofrimento. Para que haja a vitória, tem que existir as perdas e fracassos.

Eu me sinto derrotada. Não quero passar por isso de novo: sofrer uma grande decepção para então ter uma breve alegria. Não quero viver com essa dor. Não quero viver. Deus, por favor, eu não quero mais viver...

By Natasha

0 comentários:

Postar um comentário

Created By Sora Templates