quarta-feira, 23 de julho de 2014

Reecontro

Com seu ar imperioso, ele adentrou a sala. Logo, o cheiro de Dove invadiu os ares, me deixando meio tonta. Não imaginava que fosse me sentir assim: tão vulnerável. Mais de um ano se passara desde que saímos juntos pela última vez, mas ele ainda mexia comigo daquele jeito. Quase desmanchei-me em meu assento quando abriu o seu melhor sorriso para a turma.

- Bom dia a todos. Disse ele, formal como sempre.

Homens de terno e gravata eram extremamente sexys, a meu ver. Ele usava um conjunto azul escuro, quase preto, que contrastava com sua pele clara e os cabelos negros. Estava lindo. E, mais do que nunca, arrogante. Certamente, o novo emprego estava lhe fazendo bem.

Claro que não contava que a empresa que ele agora gerenciava fosse uma das principais clientes da empresa onde eu trabalhava há três anos. Nunca havia lhe dito o nome da multinacional que me contrara, muito menos que fora promovida em menos de um ano, entrando para a equipe de marketing. Isto significava que teríamos contato direto a partir dali. Nos encontraríamos muitas vezes. Oh, Deus, nos encontraríamos muitas vezes!

- Meus cumprimentos. É um prazer vê-lo novamente. – tentei soar o mais profissional possível ao apertar sua mão, mas havia me entregado.

Quando um sorrisinho de sarcasmo lhe escapara pelo canto dos lábios percebi que era tarde demais: ele lêra nas entrelinhas. Naquele momento ele soube que eu ainda estava apaixonada, que eu sentia saudades do canto da cotovia e, pior: que eu estava em suas mãos.

Deus me perdoe, mas o amor deveria ser classificado como um pecado. Estava muito bem casada, satisfeita com meu relacionamento, não podia permitir que um sentimento me condenasse.

Todos começam a ser felizes quando entendem que é preciso buscar companheirismo num relacionamento, e não amor, por que o amor é traiçoeiro. Quando estamos apaixonados ficamos escravos deste sentimento.

Eu tinha medo de me envolver com alguém por quem estivesse apaixonada. Afinal, como poderia me sentir segura num relacionamento se quando estou apaixonada não posso confiar nem em mim? O amor é traiçoeiro. Não confie no amor.

Desviei meus olhos dos seus, mal suportando a pressão pairando sobre mim. Não podia permitir que o trem saísse dos trilhos novamente. Já havia sido perdoada uma vez, e estava claro que não receberia uma segunda chance. Largar tudo por um sentimento era viver uma ilusão, e ilusões deveriam ser trancadas a sete chaves.

Levantei-me discretamente ao fim da reunião, cruzando a sala num nervosismo só, sem olhar para trás. Em pensamento, fiz a promessa de que jamais olharia para trás. Talvez fosse a hora de ter um filho.

0 comentários:

Postar um comentário

Created By Sora Templates