sexta-feira, 13 de junho de 2014

Adorkable!

Mal entrei de férias da faculdade e já corri pra biblioteca pegar uma boa comédia romântica para me deliciar. Não aguentava mais aqueles livros acadêmicos e textos técnicos! O pior é que isto está influenciando negativamente no meu blog, afinal não estou conseguindo postar textos de opinião. Recentemente só venho postando trabalhos de pesquisa, matérias elaboradas extra-classe, roteiros de apresentação de seminários e relatórios de aulas.

O livro da vez é “Os Adoráveis” que narra a história de uma blogueira feminista dork esquisitona defensora dos direitos humanos e apaixonada pelo cara mais bacana da sua escola. Os dois se detestam e se amam ao mesmo tempo, hilário. Estou no começo da história, mas já amei o livro! Ele é narrado em primeira pessoa pelos protagonistas que se alternam entre os capítulos e a autora usa gírias e palavrões sem medo (mais ou menos como fiz em Momentos dos Delírios, mas eu inclui um narrador observador também).

Sinopse

Jeane é blogueira. Seu blog, o Adorkable, é um blog de estilo de vida — na verdade, o estilo de vida dela — e já ganhou até prêmios na categoria “Melhor Blog sobre Estilo de Vida” pelo e Guardian e um Bloggie Award. Adora balas Haribo, moda (a que ela cria, comprando em brechós) e colorir (ou descolorir totalmente) os cabelos. Cheia de personalidade e meio volúvel, ainda assim Jeane é bacana — mesmo nos momentos em que se transforma numa insuportável. Mas, certamente, ela não olharia duas vezes para Michael. Porque Michael é o oposto de Jeane. Ele é o tipo de cara que namoraria a garota mais bonita da escola. E compra suas roupas na Hollister, na Jack Wills e na Abercrombie. Além disso, diferente de Jeane, que é autossuficiente, Michael é completamente dependente do pai, o Clínico Geral que condena açúcar, e ainda permite que sua mãe compre suas roupas! (Embora, para Jeane, o pior mesmo sobre Michael é que ele baixa música da internet e nunca paga por isso). Jeane e Michael têm pouco em comum, além de algumas aulas e uma maçante dupla de “ex” — Scarlett e Barney. Mas, apesar disso, eles não conseguem se desgrudar desde que ¬ ficaram pela primeira vez.

Autora: Sarra Manning
Editora: Atom/Novo Conceito (no Brasil)
Ano: 2012
Uma das caraterísticas mais curiosas da protagonista é que ela é dork. Eu ainda não conhecia essa expressão. Na realidade, só fui descobrir o que eram os geeks depois que comecei a namorar uma pessoa que entende dessas coisas. Antes, leiga como era, resumia todos os estereótipos de intelectuais à nerds.

Dorks

Dork, inepto ou bobo, em Inglês, é um termo que identifica um estereótipo de pessoas que exercem atividade intelectual em excesso, isto é, pessoas que gostam muito mesmo de estudar e de se informar sobre tudo. Entre as tribos urbanas, diferenciam-se dos geeks e nerds de acordo com suas especificidades.

Os dorks não costumam buscar novas relações sociais, mas também não se importam com o que os outros pensam sobre isso. Fazem o que gostam e da maneira como gostam e se vestem de um jeito bem diferente do convencional.

Às vezes, procuram imitar algum personagem fictício de RPG, desenhos ou filmes, e agem, e se vestem, como o personagem. Otimistas e disponíveis para o mundo em que estão vivendo, os dorks são intelectuais peculiares.

Fonte: Novo Conceito (adaptado)


Encontrei uma descrição curiosa dos dorks no Wikipédia também:
A imagem estereotipada do Dork nos meios de comunicação e na ficção é a de um jovem que usa óculos de grau de aros pretos grossos (geralmente quebrados e reparados com fita isolante ou resina epoxi), protetores do bolso, calça curta e camisa ou a roupa demasiadamente formais para as circunstâncias. Às vezes, o estereótipo inclui a falta de higiene e características físicas, como magreza ou gordura extrema. Os Dorks não tendem a criar novas relações sociais, por simplemente não ter interesse, suas piadas geralmente são sobre temas técnicos, fictícios e do tipo tradicional, tendem a falar formalmente, especialmente com mulheres atraentes ou jovens. Podem ser péssimos nos esportes, devido à falta de força, fôlego, adrenalina, coordenação muscular e inclinação para praticá-los, o que é devido à falta de prática, já que não oferecem disposição para tais atividades, dedicando-se totalmente ao seu Hobby ou profissão.

- Wikipédia

O livro tem uma introdução dez que me levou a fazer este post. Por que quero fazer uma lista igual! Pra quem não sabe, eu adoro listas de todas as espécies. Eu sei, é um amor irracional.

O Manifesto


  1. Não temos nada a declarar, a não ser sobre nossa dorkidade.
  2. Bazares de usados são nossos shoppings.
  3. É melhor transar do que ficar na mesmice.
  4. Necessariamente, o sofrimento não melhora você como pessoa, mas lhe dá assunto para blogar.
  5. Experimente photoshop, tintura de cabelo, diferentes esmaltes e sabores de cupcake, mas nunca experimente drogas.
  6. Não siga líderes, seja um.
  7. A necessidade é a mãe da customização.
  8. Filhotes tornam tudo melhor.
  9. Garotas quietinhas raramente fazem história.
  10. Nunca esconda sua esquisitice, mas use-a como um escudo.


2 comentários:

  1. É um dos meus livros favoritos. Eu amei esse livro do início ao fim!haha <3

    ResponderExcluir
  2. Também entrou para a minha lista de favoritos do Skoob =P Cheguei a procurar mais livros da autora nas bibliotecas da região, mas não achei =/

    Beijocas, volte sempre!

    ResponderExcluir

Created By Sora Templates