segunda-feira, 26 de maio de 2014

O Papel da Comunicação Social na Educação Brasileira

A estrutura educacional do Brasil é claramente falha. Os professores do ensino fundamental e médio são preparados para aplicar conteúdo aos alunos e não para formar mentes críticas. A criatividade é pouco trabalhada em sala de aula, e os alunos não tem espaço para expressar opinião. Este mal desenvolvimento da inteligência emocional prejudica a ingressão do jovem no ensino superior, pois ele se depara com outra realidade. Como uma postura pró-ativa pode ser cobrada de um aluno que não construiu uma visão crítica no ensino básico? Neste momento, o jovem se vê tendo que correr atrás de um grande prejuízo.

A primeira mudança a ser feita seria a formação dos professores de ensino fundamental e médio e a maneira como as disciplinas são aplicadas em sala de aula: o uso de multimídia torna a aula dinâmica e facilita a aprendizagem. E ao invés do aluno ser condenado pelo seu comportamento, a instituição deveria contar com a presença de um psicólogo em tempo integral.


A rotina deveria consistir na inserção do aluno à cultura popular brasileira e universal através da inclusão de prática de esportes e atividades artísticas, valorizando o conhecimento adquirido e criando formadores de opinião. Mas, para que a aprendizagem seja plena, cabe ao governo investir em mais tecnologia: escolas bem estruturadas com bibliotecas completas e acesso à internet para fins de pesquisas acadêmicas é essencial para incentivar o aluno a ser autodidata.

Nós, enquanto profissionais de Comunicação Social, poderíamos contribuir com a melhora da educação mo Brasil através da transmissão de informação e conhecimento ao povo brasileiro. Ações estratégicas devem ser elaboradas para que a sociedade deixe de ser leiga e passe a exigir os seus direitos como cidadão, pois para que uma pessoa possa argumentar ela precisa enxergar as deficiências políticas e sócio-econômicas presentes em nosso país.

quarta-feira, 21 de maio de 2014

Revista de Sábado em Várzea Paulista

Falei tanto, mas depois de editado a entrevista ficou apenas com 2 minutos! Exibiram somente o necessário e cortaram as sobras, tipo o pouco que falei sobre meu novo livro, Sob os Olhos de Natasha. Acredito que seja por uma boa causa: o programa sobre Várzea Paulista ficou ótimo, com bastante conteúdo! Para quem ainda não assistiu, veja algumas das matérias de destaque (a última é a minha, claro, kkk):

Cidade das Orquídeas


Várzea Paulista contém 4 grandes Orquidários, e o maior laboratório de mudas da America Latina, por conta disso Várzea é conhecida como a cidade das Orquídeas.

Trança Afro toma conta


Nada de alisar o cabelo, em Várzea Paulista a onda é a trança afro. É a Cultura Afro-Brasileira tomando conta da cabeça de moças e rapazes da cidade!

Forrozeiro de Várzea


Vila Real: o bairro mais populoso de Várzea Paulista abriga especiarias nordestinas. Mas o forró é comandado por um paulistano!

Voo de Paraglyder


Cleber
é Guarda Municipal de Várzea Paulista há 19 anos, e adora uma aventura. E foi com ele que o Marcão encarou uma trilha bem longa até o pico do Morro do Mursa, e na hora de descer teve que encarar o Paraglyder.

Jovem escritora e blogueira


Marcão bate um papo com a Melissa, jovem moradora de Várzea Paulista que já publicou um livro e tem um blog sobre a cidade.

Apesar de a minha voz ser um tanto infantil e eu ter falado o tempo todo com a boca meio repuxada (aliás, não compreendo o porquê disso ter acontecido!), consegui disfarçar bem a timidez e só engrolei pra falar uma vez. Na dúvida de qual câmera olhar, só olhei para o entrevistador, o Marcão. Outro ponto negativo: repeti “entãoduas vezes! Mas pelo menos não falei “”. Gostei do foco que deram para meu livro publicado, Momentos dos Delírios, e para meu blog, ficou lindo : )

Bastante gente assistiu, mais do que eu esperava. Recebi mensagens de amigos me parabenizando e meu namorado, pais e sogros ficaram orgulhosos de mim. Gosto de me sentir assim, tão querida. Também recebi algumas solicitações de amizade nas redes sociais, mas infelizmente nem todas tinham boas intenções... (já dei um jeito nisso).

sábado, 3 de maio de 2014

Entrevista com o programa Revista de Sábado

Demorou, mas rolou: minha primeira entrevista para uma emissora de televisão, e com um programa que curto bastante, o Revista de Sábado. A matéria está prevista para rodar no dia 17 de maio, e espero sinceramente que vocês assistam!
O Revista de Sábado é um programa de entretenimento exibido pela TV Tem, que geralmente produz matérias em pequenos municípios. A equipe toda foi muito simpática e prestativa, adorei conversar com a Janaína, ela é uma ótima profissional! Quanto ao Marcão... minha opinião sobre repórteres continua a mesma: acho todos eles muito exibidos (sem maldade, sério!), mas de qualquer forma gostei muito de conhecê-lo!


Sugeri filmar na Biblioteca Municipal de Várzea Paulista, pois foi o espaço onde me senti acolhida quando publiquei o meu livro. Todavia, fugiria do padrão do programa, que é gravar em espaços abertos. Infelizmente, Várzea carece de bons cenários, por fim optaram por uma praça muito bonita em bom estado de conservação.

Quanto a entrevista, não sei se me saí muito bem, acho que poderia ter me preparado melhor, feito uma colinha, sei lá. Uma coisa é bater um papo no banquinho da praça, outra é apontarem um microfone na sua cara e ter dois câmeras te filmando em diferentes ângulos, todos esperando que você fale e fale bem.

Acho que faltou eu fazer mais citações. Descrever bem o seu projeto não é o suficiente, é preciso dar nomes e endereços, e repetir tais referências se tiver oportunidade, para que assim as pessoas registrem tais informações.

Espero sinceramente que a faculdade me ajude a lidar com as câmeras e ser mais desinibida em público. Na parte técnica, quero muito melhorar minha dicção, pois atualmente trabalho com comunicação oral e preciso saber realizar um bom discurso.


Inicialmente fui procurada devido aos poucos posts que fiz em meu blog sobre meu município, a maioria resultado de trabalhos acadêmicos, especialmente minha pesquisa de mapeamento cultural de Várzea Paulista. É claro que sempre tive consciência da necessidade que Várzea Paulista tem de um portal de comunicação, muitas vezes só vamos saber de um evento depois que ele aconteceu. Todavia, nunca havia imaginado que meu blog poderia se tornar uma referência.

Talvez seja um sinal de que eu deveria me engajar mais nessa proposta, levar o trabalho de mapeamento cultural com mais afinco. Mas para realizar um bom trabalho eu preciso de apoio e de fontes. A oportunidade desta entrevista serviu como um grande incentivo para mim. Gostaria de ter falado mais sobre a cidade, descrito melhor os eventos tradicionais e os novos festivais que estão surgindo graças ao desenvolvimento do município. Os moradores estão se mostrando cada vez mais participativos, e isso é muito bom!

Momentos dos Delírios
Posteriormente, ao saber sobre o meu livro publicado, surgiu o interesse de gravar uma matéria comigo. Claro que aproveitei para citar meu novo livro, Sob os Olhos de Natasha, que pretendo publicar em breve, apesar de não estar entre as minhas prioridades. As pessoas precisam entender que publicar uma obra requer investimento e dedicação, principalmente quando não se tem um programa de incentivo na cidade.

Apesar de fazer parte do que eu sou hoje, achei melhor não citar meu envolvimento com a Dança do Ventre para não fugir do tema da entrevista, mas quero destacar aqui que foi a dança que me ajudou a ser menos tímida e mais autoconfiante. A faculdade também está sendo de muito importância, o curso de Comunicação Social simplesmente abre mentes. A graduação está me ajudando a desenvolver ainda mais meu senso crítico através da necessidade de lidar com planejamentos, produzir trabalhos de pesquisa e criar estratégias comunicacionais... Posso afirmar que hoje eu vejo o mundo com outros olhos.

Atualmente eu me sinto mais segura para desenvolver meus próprios projetos. Todavia, apesar da ousadia, sou muito autocrítica. Acredito que sempre existirá um assunto numa área que fará de nós meros leigos, se não formos capazes de aprender com o próximo ficaremos para trás.

Por fim, sou muito grata ao meu emprego atual (ok, estágio), meus chefes são bastante tolerantes conosco, gosto muito das atividades que fazem parte da minha função na empresa e espero ter a oportunidade de aprender cada vez mais com eles.

ansiosíssima para ver o resultado!! #revistadesábado

Projetos Atuais

  • Publicação de Momentos dos Delírios nos Estados Unidos com a editora American Star Books 
  • Publicação do romance Sob os Olhos de Natasha 
  • Aulas gratuitas de Dança do Ventre para iniciantes no programa Escola da Família de Várzea Paulista 
  • Curso de aperfeiçoamento em Tribal Fusion com Joline Andrade 
  • Início do curso de inglês e do curso de habilitação para dirigir
Created By Sora Templates