quarta-feira, 18 de setembro de 2013

A Entrevista Jornalística

Segundo o Manual de Redação da Folha de São Paulo, a finalidade da entrevista no jornalismo é permitir que o leitor conheça opiniões, ideias, pensamentos e observações do personagem da matéria, ou de pessoas que tem algo relevante a dizer. Conforme o tema da matéria procura-se buscar pontos de vista diferentes ou o conhecimento de um profissional no assunto.
O segredo de uma boa entrevista está na elaboração de um bom roteiro, ou seja, a preparação da entrevista, lembrando-se sempre de pesquisar as principais informações sobre o entrevistado e sobre o tema, focar no objetivo da entrevista e fazer uma prévia das perguntas pretendidas.
Além disso, é preciso agendar a entrevista com antecedência e procurar chegar adiantado, para evitar imprevistos. O entrevistado deve ser informado sobre o motivo da entrevista e porque sua opinião é importante para o veículo de comunicação para o qual o entrevistador trabalha.
Gravar a conversa se faz necessário porque apenas anotar as respostas não basta, a entrevista tem de ser transcrevida corretamente, e às vezes o entrevistador pode deixar passar um comentário ou uma entonação na voz do entrevistado que pode ser importante para sua matéria.
Para abrir a entrevista, o ideal é questionar sobre a definição do tema, assim tanto o entrevistador quanto o entrevistado se situam e eliminam as dúvidas sobre o assunto. As perguntas devem ser breves e diretas, de maneira a deixar o entrevistado a vontade para discorrer sobre o assunto sem se sentir intimidado. Não é errado levantar objeções diante de uma contradição identificada pelo entrevistador, pelo contrário, assim o entrevistado poderá argumentar sobre seu ponto de vista,  que enriquece a matéria.
Nenhuma pergunta pode ficar de fora, mesmo que seja um assunto sensível para o entrevistado. Se o entrevistado se recusar a responder qualquer pergunta, o jornalista pode (e deve) registrar isso na matéria. Uma resposta tanto pode servir para justificar um ocorrido como também para prejudicar a imagem de terceiros. Todavia, fica a cargo da ética do entrevistador se ele vai ou não respeitar a particularidade dos envolvidos.
Existem três tipos principais de entrevista: Exclusiva, Pingue-Pongue e Corrida. A entrevista é exclusiva quando o entrevistado fala com exclusividade para um determinado repórter. O estilo pingue-pongue serve para evidenciar o entrevistado, publicada na forma de perguntas e respostas e sempre acompanhada de um texto introdutório. E a entrevista mais comum é a corrida, quando a opinião do entrevistado serve como complemento para a matéria. A entrevista investigativa é muito utilizada em reportagens.
Quando a entrevista está inserida na matéria e é preciso citar algo relevante que o entrevistado disse, tal fala deve estar sempre dentro de aspas e nunca deve ser muito longa. A sigla em latim SIC significa “assim mesmo” e, usada dentro de parênteses, serve para justificar uma gíria ou uma força de expressão utilizada pelo entrevistado.
A liberdade de imprensa nos permite não citar o nome do entrevistado, conforma a matéria. Neste caso, ou ele é considerado uma fonte anônima, ou apenas as iniciais do seu nome aparecem no texto.
A opinião do jornalista aparece apenas quando ele escreve colunas, crônicas ou textos opinativos. Em outros casos, a entrevista deve ser impessoal.

0 comentários:

Postar um comentário

Created By Sora Templates