terça-feira, 6 de agosto de 2013

Subindo no Salto… de Cristal!


Pra quem ainda não sabe, Chris Linnares é uma das minhas musas inspiradoras. Foi depois de conhecer sua história de vida que eu decidi estudar psicologia. Ela é uma mulher simples e inteligente que agrada todos os públicos. A conheci através de um DVD que continha sua grande peça Divas no Divã, uma palestra motivacional feita por ela, uma breve biografia sua e a descrição de suas obras publicadas.
Sempre quis ler um de seus livros. E, felizmente, a abençoada Lucélia doou o livro Cinderela de Saia Justa para a biblioteca municipal de Jundiaí e agora ele está em minhas mãos =D. Aliás, vou até aproveitar para fazer um apelo: se você tem livros em casa, ao invés de deixá-los mofando na estante, doe para alguma biblioteca pública para que pessoas como eu possa riscar mais itens de sua meta de leitura, antes que ele fique tão velho a ponto de não poder mais ser restaurado. O trabalho de restauração que as bibliotecárias fazem é maravilhoso, elas são bem preparadas para isso, então não jogue sua coleção de livros velhos no lixo. Doe!
Cinderela de Saia Justa é uma trama que conta as aventuras de uma jornalista cética, Ana José, dona de imensa lista de frustrações pessoais.
Dependendo do ponto de vista do leitor, pode ser apenas mais uma história de ficção. Ou você pode se colocar no lugar da personagem e tomar o livro como auto-ajuda. No catálogo sistemático ele está classificado como Psicologia Aplicada para Realização Pessoal. Enfim, de qualquer forma ele é um remédio para a auto-estima da gente.
Logo comecei a ler já peguei um “conselho” muito bom que estou praticando e gostaria de compartilhar com vocês. O conselho é a gente “se autorizar” a fazer aquilo que a gente quer. Peraí, deixa o livro explicar:
Vamos começar pela definição da palavra autorizar, que significa dar autoridade. A palavra autoridade, por sua vez, significa influência, poder. Portanto, a pergunta é: Quem te influencia? Quem, neste momento, exerce poder sobre sua vida? Seus amigos? Seu cônjugue? Seus pais? Seu chefe?
E você? Existe uma grande diferença em ter total poder sobre suas escolhas, ou apenas desejar ter. Depois do primeiro encontro com uma associação secreta onde se aprende ensinamentos de vida através dos contos de fada, Ana José se vê refletindo sobre o tipo de autorização que ela exerce sobre sua vida. Cansada, ela faz a seguinte lista:
A Partir de Hoje eu me Autorizo…
… A me sentir valorizada, mesmo quando os outros não reconhecerem o meu valor;
… A dar uma oportunidade para o amor, mesmo quando meu coração insistir em manter as portas fechadas;
… A sentir prazer, mesmo quando a culpa e o medo tentarem roubá-lo de mim.
… A confiar nas minhas capacidades, mesmo tendo me acostumado a menosprezá-las;
… A superar minhas limitações, mesmo tendo desistido de enfrentá-las;
… À felicidade;
… Às grandes oportunidades;
… A acreditar no melhor da vida, mesmo estando acostumada a acreditar que isso não passa de utopia.
Quem precisa de terapia quando se pode contar com a literatura? Agora é só colocar tudo isso em prática. Por que só ler e refletir não vai mudar nada na nossa vida.

Beijocas da Meh

0 comentários:

Postar um comentário

Created By Sora Templates