sexta-feira, 30 de agosto de 2013

A Habilidade de Se Comunicar Bem

Apesar de não ser ruim com metáforas, textos publicitários são meu fraco. A linguagem exige ideias práticas em textos concisos, e essa é minha maior dificuldade, por que gosto de entrar nos pormenores do assunto. Aliás, era por isso que eu e a instrutora de Conto ModernoJan Bittencourt – não nos demos tão bem: ela tentava forçar minha criatividade me incentivando a cortar trechos que julgava desnecessários dentro do meu texto, e eu não gostava nada disso. (Só por comentar, ela tinha uma habilidade incrível para criar títulos que eu admirava muito, porque sempre tenho que pensar bastante pra chegar num título bom).

Gostei da minha professora de Língua Portuguesa, a Sônia, mestre em linguística. Infelizmente, acho que não vai demorar para ela notar a forma como estruturo meus textos. Primeira aula com ela e no quadro está um lançamento de cerveja com consistência de sorvete, da Skol. Slogan criado por mim: “Mais redonda e mais gelada: para brincar como criança, mas com a malícia de um adulto”. Meu Deus, ficou horrível. Que merda. Simplesmente não consigo passar a ideia num texto curto, que é a principal necessidade da propaganda.
Quando a gente trabalha com comunicação, apenas falar/escrever bem não é suficiente, é apenas o básico e necessário. É preciso saber agradar, persuadir, emocionar e/ou provocar escolhendo as palavras certas. É preciso saber usar e abusar das palavras no seu interim.

A minha necessidade é a do esclarecimento. Adoro a arte da palavra, a maneira como podemos brincar com ela, passar ideias diferentes formulando as mesmas palavras de variada maneiras. É tão gostoso ter particularidade com a língua escrita. Quando se tem o domínio da linguagem conseguimos deixar transparecer apenas o que quisermos. E, da mesma forma, um bom entendedor sempre compreende a mensagem nas entrelinhas.
A professora falou uma coisa que traduz exatamente meus pensamentos com relação à sociedade e à nós mesmos, com relação ao meu eu:
Quanto maior nosso grau de instrução, maior a nossa responsabilidade social.
Cresci com a ideia de que não podia falhar, de que sempre tenho que dar o melhor de mim em tudo que faço. Mas é impossível agradar todo mundo e sair satisfeito também. E quando me sinto encurralada desta maneira sofro com a frustração. Também gosto do espírito de independência. Pra mim, contar com alguém significa compromissar-se com ela, ficar “devendo uma”.
Não se sinta assim. Eu quero te ajudar porque me importo com você e quero te ver feliz.
Isso muda tudo para mim.

0 comentários:

Postar um comentário

Created By Sora Templates