segunda-feira, 9 de abril de 2012

Almoço de Negocios


Eu acho isso muito chique.
Terça passada me vi almoçando com meu amigo, Nereu Veiga. Ele foi meu professor na Microlins, era diretor da escola, é formado em Psicologia, atualmente está envolvido com um partido político e leciona Filosofia na minha antiga escola.
Uma vez professor, para sempre professor. As pessoas costumam tratar os jovens como ignorantes, mas elas não percebem que muitos jovens têm vontade de aprender, e já que ninguém lhes conduz, eles aprendem do jeito mais difícil: errando. Eu, como jovem inexperiente que assumo ser, tenho vontade de aprender, por isso aprendi a ouvir.
Conversar com uma pessoa adulta - que esteja disposta a ensinar – me fez sentir inexperiente, ignorante e confusa. Eu estava um tanto relutante e orgulhosa durante a conversa, mas depois que me permiti ouvir mais e parar de argumentar, reconheci que ele estava com a razão.
Conclusões?
  • Eu alimento a ideia de estudar na São Francisco desde os 12 anos de idade. Ela é uma faculdade tradicional, cara e um pouco longe. Mas simplesmente me recuso a estudar numa das faculdades da cidade, e me recuso a mudar de residência para estudar. O curso que quero fazer é Psicologia. Sei que a busca é muita, e os profissionais da área não são tão valorizados. Mas não consegui sentir-me cativada por outro curso que não fosse esse. O ideal, pelo que o Nereu me falou, é graduar-me numa faculdade boa, todavia simples, e deixar para investir grande num curso de especialização, após o curso base. Além disso, o ideal é me especializar numa área abrangente, para não ficar desempregada depois e para que o curso tenha serventia para outras áreas, mesmo fora do campo de estudo.
  • Eu quero publicar outro livro. E gostaria mesmo de publicar meus contos, para traçar uma linha literária nas minhas obras. Mas, se eu conseguir patrocínio, será uma atitude inteligente usar deste para investir em algo tão pequeno como esta publicação independente?
  • A Monalisa foi quem me acolheu quando eu precisei, num momento em que eu sabia que não conseguiria em lugar algum. Lá estou tendo a chance de aprimorar minhas habilidades profissionais e adquirir experiência em carteira, para fortalecer o curso que fiz em 2010. Mas, pelo que absorvi das palavras do Nereu, só vale a pena seguir carreira lá se a empresa tiver potencial para crescimento, pois assim eu me desenvolvo junto com ela. Caso contrário, o ideal é recorrer a uma empresa de porte grande que me ofereça mais oportunidades de carreira.
Era para eu ter passado esse fim de semana em Extrema, mas estava meio doentinha, por isso não fui. Com “doentinha” quero dizer cansada, estressada, desanimada, sonolenta, frágil, emotiva, preguiçosa, angustiada e mais alguma coisa.

0 comentários:

Postar um comentário

Created By Sora Templates