sábado, 19 de novembro de 2011

O cheiro da paz

Senti a brisa contra o rosto e me entreguei a ela, sendo guiada até um bosque. Ali, o canto dos pássaros e a calmaria do local abrigou minha solidão.
Até hoje, sempre que me encontro num local semelhante, seja uma praça, uma cachoeira ou um campo, eu respiro profundamente e fecho os olhos. É como se eu estivesse inspirando a paz.
É uma sensação boa que me faz voltar a escuridão confortadora do bosque. É um cheiro inexplicável, tanto que às vezes penso que só eu posso sentir, pois fui eu que vivi aquele momento.

0 comentários:

Postar um comentário

Created By Sora Templates