terça-feira, 24 de maio de 2011

Lista: os 10 melhores professores que já tive

Eu admiro a profissão de professor, independente da especialidade deste. Como você pode observar na minha biografia aí do ladinho, essa foi a primeira profissão que desejei. Ainda pequena, assim que comecei a frequentar a escola, decidi que seria professora, mas uma professora de verdade, do tipo que ensina e educa. Por fim, resolvi fazer uma lista dos dez melhores educadores que já tive, com suas respectivas características.

1. Isabel (2001)
Ah, minha amada professora da primeira série. Todos sabemos que para dar aulas para crianças não basta apenas saber ensinar e compreendê-la, tem que se familiarizar com ela. A Isabel era como uma madrinha para mim. Ela conversava com os alunos, dava broncas quando necessário, mas explicava por que estava fazendo aquilo. Lembro que quando eu estava triste e/ou magoada, ela me levava para fora da sala e conversava comigo, chegava até a me abraçar. Visto que eu sentia muita falta da minha mãe e tinha medo de professoras devido aos traumas que passei na creche, ela me ensinou a superar tudo isso, me ensinou a gostar da escola, a gostar de aprender. Então, eu passei a chorar sempre que tinha que faltar a escola.

2. Daniela (2004)
Até hoje eu me lembro da forma como ela entrava na sala de aula usando aquelas saias indianas, toda deslumbrante em cima de seu salto alto, sentava-se sobre a mesa e começava a explicar a matéria, com um sorriso contagiante no rosto. Ela era do tipo que parabenizava um aluno quando ele acertava alguma coisa, do tipo que apontava suas qualidades e ajudava a superar suas dificuldades. Ela me ensinou a sambar na aula de educação física. kkkkkk!

3. Elisângela (2005)
Ela me deu um livro de presente. Ela foi a melhor professora de artes que já tive, nos apresentou pintores memoráveis, nos ensinou técnicas de desenho e pintura. Ela foi a única pessoa capaz de arrancar um desenho bonito de mim. Eu aprendi a apreciar artes com ela.

4. Valéria (2005-2007)
A melhor professora de português que eu já tive. A forma como ela ensinava tornava tudo mais gostoso de aprender. Sempre variava suas aulas, passava atividades dinâmicas, trabalhava nosso vocabulário, estimulava a produção de texto, distribuía livros e quadrinhos para desenvolver nossa criatividade, conversava com o aluno sobre seus erros repentinos. Ainda hoje, vira e mexe, eu me lembro de algo que ela me ensinou. Nossa, que saudade que eu sinto dela!

5. Andréa (2005-2007)
Nossa, como ela brigava comigo. Andréa era uma loira alta e magra e bonita e, ao mesmo tempo, assustadora. Ela dava aula de educação física. Se não fosse pela minha vida sedentária, minha tímidez e pela minha turma, eu teria tirado bom proveito das aulas dela. Ela ensinava o que podia na parte teórica e prática, passava trabalhos, provas, atividades, e nos fazia exercitar muito. Os outros professores que tive nessa disciplina simplesmente nos deixava fazer o que quiséssemos durante a aula. Sentia muito a falta dela quando me dei conta do quanto ela era genial.

6. Ahh, a professora de história que eu esqueci o nome (2007)
Ela era tão simpática, eu nunca fui muito fã de história, mas a forma como ela ensinava fez a história se tornar mais interessante para mim. Quando mudei de escola, a história voltou a ser chata (como é até hoje).

7. Darci (2010)
Outra professora maravilhosa de português. Tive aulas com ela num curso de assistente administrativo, ela nos passou o módulo comunicação oral e escrita, nos ensinou a fazer apresentações com palestras, leitura interpretativa, falar ao telefone, escrever redações empresariais, passava atividades dinâmicas e deliciosas de fazer.

8. O professor bonitão (2010)
Enfim, um homem! Meu professor de contabilidade, matemática financeira e rotinas administrativas que eue não lembro o nome porque eu adorava chamar ele de fessor porque ele ficava super sem graça quando eu fazia isso. Ele era lindo, aparentava ter uns 25 anos e tirava o fôlego. Mas ele era casado, tinha filhos e sua idades era 35. Quem nunca se apaixonou por um professor? Eu delirava quando ele começava a explicar a matéria. Adorava o sotaque dele, uma mistura de estrangeiro com paulista. Quantas vezes eu me perdia na sua aula e tinha que pedir explicação particular. Quantas vezes ele ouviu eu fazendo comentários maliciosos sobre sua pessoa na minha roda de meninas. Nossa, ele ficava tão sem graça com a gente! E aquela vez que pichamos o carro dele? Tá legal, foi com o dedo. Mas não é só por isso que ele era um professor maravilhoso, ele dava aula super bem, fazia aqueles cálculos todo parecer tão simples e fácil, tornou a matemática no mínimo atraente para mim. Ah, e eu sempre me senti atraída por caras inteligentes, então sempre me excitava quando ele dava aula e sonhava com ele quando ia dormir. Hilário. Mas isso me fez decorar a matéria, eu era louca para impressioná-lo.

9. Solange (2009-2011)
Apesar da altura de sua voz, que se eleva quando vai te repreender, falar que seu texto está ruim etc, ela é uma boa professora de português. Gosto da sua aula, ela é firme, curta e grossa, realista, fala o que tem que falar. Só acho que ela devia ser um pouco mais sensível. Ela repara o mínimo dos erros, nunca lhe dá 10, faz você tremer, em certas situações te constrange e me deixou com média 6 no mês passado. Aquele que teve aula com a Solange e nunca sentiu vontade de voar no pescoço dela está mentindo.

10. Solange (2010-2011)
Ou, como é popularmente conhecida, Sol. Minha professora de dança do ventre. Ah, não tenho muito o que falar, eu amo ela. Ela me deu coragem para me apresentar na frente de 200 pessoas mesmo com as pernas bambas. Solidária, simpática, extrovertida, gordinha. Ela usa umas expressões para decorarmos os passos de dança que faz todo mundo cair na gargalhada. Como é? Puxa fiozinho e pinta parede? Penteia e despenteia? Bolinha?  Tô-nem-aí? Kkkkkkk


É provável que poucas das pessoas citadas acima lembre de mim. Espero que a Valéria tenha me visto no jornal, ela me ajudava tanto.

0 comentários:

Postar um comentário

Created By Sora Templates